Curta Circuito fecha mostra 2017 em Montes Claros

Fechando um ciclo de três bimestres de programação em homenagem a grandes nomes do cinema nacional, como Carlo Mossy e Alfredo Sternhein, é chegada a hora de homenagear o cineasta Afrânio Vital. Neste sábado o Cinema Comentado Cineclube exibe, em parceria com o Curta Circuito – Mostra de Cinema Permanente – o filme LONGAS NOITES DO PRAZER.

De acordo com a curadora da mostra, Andrea Ormond, “a vida de Afrânio Vital por si só, já daria um filme: migrante do interior, criado na favela do Esqueleto, marcado pela tragédia, encontrou na arte e no estudo sua chance de sonhar um futuro melhor. Um dia bateu na porta da casa de Christensen e conversaram sobre cinema e literatura. Conseguiu uma chance para trabalhar na técnica do clássico “Anjos e Demônios”, e daí para diretor premiado, amigo de Khouri e Rubem Biáfora, foi questão de tempo”, conta.

Cineasta autoral e um dos poucos diretores negros do Brasil, Vital aborda, em LONGAS NOITES DO PRAZER, a diferente realidade de dois mundos: o do banco privilegiado e o do negro desfavorecido. Neste ano o Curta Circuito selecionou clássicos da pornochanchada sob a temática País Tropical, e o filme que fecha a mostra em Montes Claros aborda a procura por questões existenciais com um pano de fundo erótico.

Para Ormond, Vital é um “homem de cultura vastíssima, cinéfilo fabuloso – desses que veem o filme uma vez e descrevem os olhares da atriz, vinte anos depois – Afrânio misturou em três longa-metragens uma parte daquilo que constitui sua própria biografia e joie de vivre: a paixão pelo jazz, a admiração pessoal a dois nomes do cinema brasileiro, Walter Hugo Khouri e Carlos Hugo Christensen, a condição de intelectual negro e ex-favelado em um mundo de brancos, supostamente sofisticados, e, principalmente, a análise psicanalítica, a tragédia – esta apresentada como forma de superação, de engrandecimento moral”, finaliza.

As sessões do Cinema Comentado Cineclube acontecem aos sábados, na sala de audiovisual anexa ao Centro Cultural Hermes de Paula, a partir das 19h. Vale lembrar que as exibições são gratuitas e abertas aos interessados em discutir a sétima arte.

Article by Vanessa Araújo

Comments: no replies

Join in: leave your comment